Banner de anúncio dentro de posts(topo)

Comunhão na PalavraEcumenismoFraternidadeParóquia

O ecumenismo é uma boa notícia que nós católicos podemos oferecer ao mundo de hoje - Comunhão na Palavra



Dom Sebastião Bandeira: O ecumenismo é uma boa notícia que nós católicos podemos oferecer ao mundo de hoje, antecipando aquilo que um dia vamos viver na eternidade.

Convido a todos a assumirmos verdadeiramente esta Campanha da Fraternidade, sendo uma ocasião para quebrarmos os muros que nos separam em relação às pessoas que fazem parte de outras igrejas e com aquelas que estão tendo uma visão político-econômica contrária à nossa. Aceitemos com bom grado o convite para participar de celebrações ecumênicas, mostrando gestos de acolhida e não de competição.


 “COMUNHÃO NA PALAVRA”, nº 279 – fevereiro de 2021.

“Cristo é nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade” (Ef 2,14ª)


Antes de começar, a Campanha da Fraternidade já está provocando muita discussão, não só nas redes sociais, mas no interior das igrejas. Pelo o fato de ser ecumênica, já é uma dificuldade real, mas algumas partes do conteúdo do Texto Base foram criticadas por grupos conservadores alegando que as ideias apresentadas não estão de acordo a Doutrina da Igreja. Esta situação leva ainda mais a valorizar o tema que é “Fraternidade e diálogo compromisso de amor”. Neste tempo em que a pandemia persiste em continuar com a curva de infectados aumentando e que a vacina chega muito lentamente, atingindo até agora menos de 2% da população maranhense, é importante que aproveitemos no tempo quaresmal para vislumbrarmos caminhos de verdadeira conversão pessoal, eclesial e social.

“Cristo é nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade” (Ef 2,14ª)

No mundo marcado pela diversidade, o diálogo é o caminho para a paz. O diálogo implica abertura, acolhida, escuta e discernimento conjunto. Constatamos muitos males que revelam a falta do diálogo. Entre eles, destacamos as diversas formas de violências, entre as pessoas, na família, nas instituições e até entre as igrejas, o fanatismo, o racismo e as situações de intolerâncias crescentes. Além disso, neste tempo de tanto sofrimento devido a pandemia, ocorreram fatos muito lamentáveis, como negar a gravidade da doença e as medidas para combatê-la, a indiferença de muitas autoridades diante da morte de tantas pessoas, desvios dos recursos públicos de sua finalidade, abuso comercial com o aumento dos preços dos produtos, levando os mais pobres a ficarem cada vez mais pobres. Diante de tudo isso, precisamos descobrir a força e a beleza do diálogo como caminho de relações mais amorosas, denunciar as diversas violências praticadas e legitimadas indevidamente no nome de Deus e a promover a cultura do amor, como forma de superar a cultura do ódio, estimulando a convivência fraterna entre as pessoas de diferentes crenças, ideologias e opções de vida.

“Cristo é nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade” (Ef 2,14ª)

Convido a todos a assumirmos verdadeiramente esta Campanha da Fraternidade, sendo uma ocasião para quebrarmos os muros que nos separam em relação às pessoas que fazem parte de outras igrejas e com aquelas que estão tendo uma visão político-econômica contrária à nossa. Aceitemos com bom grado o convite para participar de celebrações ecumênicas, mostrando gestos de acolhida e não de competição. O ecumenismo é uma boa notícia que nós católicos podemos oferecer ao mundo de hoje, antecipando aquilo que um dia vamos viver na eternidade.  Será muito importante, se depois deste período, nos tornarmos  mais capazes tanto de dialogar quanto ajudar aos outros a fazerem o mesmo. Que Deus nos livre do vírus da Covid-19 e todos outros vírus que nos impedem de descobrir a outra parte da verdade, do bem e da beleza que não está toda em nós, mas nos outros, porque apesar de sermos maravilhosamente criados por Deus, somos seres incompletos. O meu abraço e a minha oração para todos. 

Dom Sebastião Bandeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Banner abaixo da matéria