Banner de anúncio dentro de posts(topo)

      Procissão do Fogaréu como é conhecida foi realizada por jovens da Pastoral da Juventude e Coroinhas, das Paróquias Nossa Senhora da Piedade e São Raimundo Nonato, na noite do dia 17 de abril, quarta feira santa,  iniciando com a santa missa na igreja de São Raimundo Nonato, percorrendo ruas e encerrando na Paroquia Nossa Senhora da Piedade, na praça da Catedral.
     Em 2013 os jovens da pastoral da juventude de Coroatá relança a procissão do fogaréu dando sequência à sua programação anual com o principal objetivo de evangelizar com arte fé e ação concreta que é motivar jovens e adultos através de sua mensagem para que seja mais valorizada a semana santa e o silêncio oportuno neste período reflexivo.

    Logo pós a missa os jovens encenaram no centro São Raimundo a cena da última ceia, e o Monte da Oliveiras, logo em seguida tocam o clarim e dezenas "farricocos", saem às ruas, com tochas iluminando-as, rememoriando a procura dos soldados por Jesus Cristo naquela época, durante a caminhada, são feitas paradas, onde foram refletidos temas, como: o da Campanha da Fraternidade do ano de 2019, fazendo este paralelo, da busca feita pelos soldados a Jesus, assim também hoje muitos são excluídos, e colocados à margem da sociedade, por não terem diritos a politicas públicas que lhe garanta vida digna, e Cristo naquela época como grande defensor dos mais humildes, foi perseguido, assim como tantos que hoje são perseguidos porque buscam libertar os oprimidos fazendo valer o direito e justiça.
     A procissão do fogaréu apresenta ainda uma mistica e arte, quando as luzes são acesas, o fogo reflete a beleza a claridade, contrapondo com a mascara dos Farricocos que trazem o sentimento de curiosidades, muitos que acompanham tentam desvendar quem estar por baixo daquelas roupas e mascaras, e no silencio concentrados eles partem pelas ruas, ao som rítmico de uma fanfarra, num único tom com um só objetivo.
 
Toda simbologia até os dias atuais de certa forma intriga seus participantes ou envolvidos com o momento, que ainda se intrigam ou questionam sobre o por que deste fato que hoje já se faz tradição em nossa cidade.
A procissão tem seu fim na catedral Nossa Senhora da Piedade, onde ao som melancólico do clarim, anuncia a prisão de Jesus, representado numa pintura feita em tecido.


Redação da PASCOM CATEDRAL
Texto: Auzenir Silva com colaboração de Leonardo Slim
Fotos: Elton Lopes

2 comentários:

  1. Obrigada Pascom pela cobertura. E fica aqui desde já o convite a jovens e adultos para ano que vem vivenciarmos esse ato de fé e arte.

    ResponderExcluir
  2. A PASCOM se coloca à disposição para outros eventos da PJ e Coroinhas, contem sempre com a equipe.

    ResponderExcluir

Banner abaixo da matéria