Banner de anúncio dentro de posts(topo)

Comunhão na PalavraFraternidadeParóquiaPoliticas Públicas

Comunhão na Palavra mês de março de 2019. “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1,27)


Comunhão na Palavra março de 2019.

“Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1,27)

A profecia da Igreja no Brasil continua viva e se repete a cada vez, no tempo da quaresma, com a Campanha da Fraternidade. Este ano, trás o assunto bem atual das Políticas Públicas, para ser discutido não só no interior da Igreja Católica, mas em todos os seguimentos da sociedade, inclusive em outras Igrejas. Neste tempo em que no Congresso Nacional se discute a Reforma da previdência e que se veem ameaças concretas de tirar do povo, especialmente dos mais pobres algumas conquistas alcançadas anteriormente, a escolha deste tema foi muito oportuna para fortalecer a cidadania e o bem comum, como sinais bem concretos de fraternidade.

“Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1,27).

Entendemos por Políticas públicas, “o cuidado do todo realizado pelo Governo ou pelo Estado. São aquelas ações discutidas, decididas, programadas e executadas em favor de todos os membros da sociedade. De governo, porque ligado a um determinado executor, portanto é temporário. De Estado quando são ações permanentes, ligadas à educação, à saúde, à segurança pública, ao saneamento básico, à ecologia e outros. Elas visam especialmente ás pessoas que são empurradas para as margens da sociedade e até excluídas” assim nos fala o Texto-base desta campanha. Portanto, trabalhar para que aconteçam as políticas publicas é viver as obras de misericórdia, de maneira mais ampla e eficaz, e uma forma de acordar nossa consciência, muitas vezes adormecida perante o drama dos pobres e sofredores que estão ao nosso redor e que temos uma missão que o evangelho nos manda a realizar. O lema escolhido, tirado do profeta Isaías, nos ajuda a perceber que as questões sociais estão ligadas às questões religiosas. Os profetas nos inspiram a viver o verdadeiro espírito da quaresma, ensinando que o verdadeiro jejum que Deus quer é “romper as cadeias injustas, libertar os oprimidos e quebrar toda espécie de jugo. É repartir seu alimento com o faminto, dar abrigos aos infelizes sem casa, em lugar de se desviar o olhar de seu semelhante” (Is. 58, 5-7).

“Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1,27).

Nesta quaresma, sugiro três metas a alcançar: Buscar a conversão social que nos leva a escutar os clamores do povo e a compreender a voz de Deus que nos quer tirar da nossa indiferença, passividade e omissão diante de tanto sofrimento e opressão em que convivemos.  A segunda meta, formar em nós uma espiritualidade integral, encarnada, superando a incoerência entre a fé professada e a nossa vida concreta, percebendo que a ausência de Políticas públicas impede a prática do Evangelho. E a terceira, participar e fazer participar de maneira consciente nos diversos espaços da sociedade, na construção do bem comum, efetivando o controle social  e reivindicando atendimento humanizado de qualidade e digno a todo cidadão em qualquer estabelecimento público. Que muitos bons frutos possam acontecer neste tempo precioso da quaresma, para você, para a nossa Igreja e nosso país. 
Deus lhe abençoe, seu amigo bispo.

D. Sebastião Bandeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Banner abaixo da matéria