Banner de anúncio dentro de posts(topo)

Comunhão na PalavraIdososParóquia

Neste tempo de pandemia a intercessão dos idosos não é vã e nos aponta para um porto seguro. Comunhão na Palavra julho de 2021


Comunhão na Palavra julho de 2021 
“Eu estou contigo todos os dias” (Mt.28,20)

O Papa Bento afirmou que a “oração dos idosos pode proteger o mundo, ajudando-o talvez de maneira mais incisiva do que a fadiga de tantos”. Neste tempo de pandemia a intercessão dos idosos não é vã e nos aponta para um porto seguro.

Pela primeira vez, teremos o Dia Mundial dos Avós e dos idosos, que será sempre no quarto domingo de julho, dia 25, neste ano. É uma proposta do Papa Francisco, visando concretizar o Ano dedicado a Família, à luz da Amoris Laetitia e a São José. Cresce cada vez mais em número, os idosos. Estes precisam sair da invisibilidade e merecer uma atenção maior tanto da Igreja, quanto da sociedade. Neste tempo de pandemia, os idosos sofrem muito mais que as outras categorias de pessoas. A experiência de viver isolados, de ter perdido pessoas queridas e conhecidas, causa no idoso o sentimento de insegurança e ansiedade. Em nossa Diocese, neste mês, temos a alegria da ordenação presbiteral do Diácono Jeferson Pinheiro, em São Mateus, onde residem seus familiares e cresceu na fé.


“Eu estou contigo todos os dias” (Mt.28,20)


Esta frase de Jesus continua atual para nossos anciãos. Toda a Igreja quer ser solidária para com eles, preocupar-se e cuidar deles com a devida atenção. Francisco lembra que os idosos tem a vocação de salvaguardar as raízes, transmitir a fé aos jovens e cuidar dos pequeninos. Eles são chamados a participar ativamente na reabilitação da sociedade ferida, para que ao terminar esta pandemia todos tenhamos mudados para melhor. E na construção desta nova maneira de viver, os idosos são chamados a colocar três pilares: o sonho, a memória e a oração. O sonho - O futuro do mundo está na aliança entre os jovens e os idosos. A pessoa envelhece quando perde a capacidade de sonhar. São os jovens que levam a frente os sonhos defendidos pelos idosos. Os idosos devem testemunhar a possibilidade de sair renovado depois de uma experiência dolorosa. A memória - recordar é uma missão verdadeira e própria de cada idoso. Esta memória, alicerce da vida, ajuda a construir um mundo mais humano e mais justo e a manter a identidade de cada família e comunidade. Por fim, a oração. O Papa Bento afirmou que a “oração dos idosos pode proteger o mundo, ajudando-o talvez de maneira mais incisiva do que a fadiga de tantos”. Neste tempo de pandemia a intercessão dos idosos não é vã e nos aponta para um porto seguro.


“Eu estou contigo todos os dias” (Mt.28,20)


Foto feita antes da pandemia -PPI Coroatá-MA

Em nossa vida pastoral, a presença dos idosos é marcante e decisiva. Não é para lamentar, mas para valorizar estas pessoas que tem ainda grande potencial, com a sabedoria adquirida ao longo da vida. Fazer a integração entre as gerações é fundamental para que a Igreja sempre se mantenha com vigor no seu serviço ao mundo. Como melhorar o atendimento entre os idosos na comunidade? Que todos nos empenhemos nesta tarefa, preparando assim o nosso futuro. Um grande abraço a todos,
D. Sebastião Bandeira.
Bispo da Diocese de Coroatá-MA







 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Banner abaixo da matéria